http://sdtibm.cv/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/1483511.jpg http://sdtibm.cv/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/5328002.jpg http://sdtibm.cv/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/9543243.jpg http://sdtibm.cv/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/2672794.jpg http://sdtibm.cv/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/5706125.jpg http://sdtibm.cv/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/5637346.jpg http://sdtibm.cv/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/6213337.jpg http://sdtibm.cv/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/6028008.jpg http://sdtibm.cv/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/9125619.jpg
Home
Português (Brasil)English (United Kingdom)
SCI planeia ter 300 quartos até 2020 em três ilhas
SCI planeia ter 300 quartos até 2020 em três ilhas A empresa Spencer Construções & Imobiliária (SCI) perspectiva construir pequenas unidades hoteleiras em Santo Antão, São Vicente e Santiago, aumentando para até 300 quartos a sua capacidade de alojamento. A ilha das montanhas irá ganhar um Boutique-Hotel de 4 estrelas com pelo menos vinte quartos, mas ainda o local está por decidir – entre Paul e Ribeira da Torre. A Spencer Construções vai ainda construir um hotel na ilha do Monte Cara e outro em Santiago.
 
A SCI está a investir “pesado” na área do turismo. Para já, tem em carteira três novos empreendimentos, sendo um Boutique-Hotel de 4 estrelas com vinte quartos para a ilha de Santo Antão, um hotel na ilha do Monte Cara e outro em Santiago em áreas nobres. Segundo o director João Spencer, esses projectos já estão na fase final em termos de negociações, mas prefere não avançar mais detalhes.

Santo Antão, principal mercado
Este operador faz questão de frisar que o principal mercado da empresa continua a ser Santo Antão. Conforme João Spencer, estão a apostar na melhoria da capacidade de recepção de turistas na ilha das montanhas, o que passa pelo aumento do número de camas disponíveis. Um exemplo de tal aposta foi a construção de 18 casas na vila turística de Lombo Branco, dentro de um pequeno resort integrado.

“Vendemos praticamente todas as casas. Entretanto, acordámos com os donos continuar a explorar, ou seja, a alugar as moradias para turistas, com o único intuito de apoiar as pessoas a adquirirem as casas. Infelizmente, as coisas não correram tão bem como esperávamos”, explica João Spencer, dizendo que neste momento há uma equipa a fazer a exploração comercial na base do aluguer de casa para férias. Mas a SCI continua a garantir a manutenção.

Já o projecto do Hotel Sinagoga Resort – que inicialmente deveria ser um hotel e 40 moradias, vivendas, duplexes e casas térreas – vai ter que esperar. A empresa é, há cerca de dois anos e meio, dona de 42% do empreendimento. “Temos cerca de 42% e estamos a tentar desbloquear o projecto, que anda em banho-maria. Tínhamos um parceiro que estava disposto a alinhar connosco, mas as coisas não correram bem em Angola. Ficámos mais uma vez pendurados. Isso quando já tínhamos feito algumas intervenções em termos de criação de acesso e de novas plataformas.

Entretanto, na semana passada, levámos este projecto para a 1ª edição do Mindelo Meeting Point onde encontrámos alguns parceiros e estamos em discussão. Provavelmente, o projecto do Hotel Sinagoga Resort vai sofrer mais alterações. Estamos a estudá-lo para adaptá-lo à nova realidade e exigências do turismo” assevera.

Em fase de acabamento está um hotel em Ponta do Sol, com cerca de 85 quartos. O projecto está orçado em 300 mil contos e foi financiado pela Caixa Económica. Vai dar emprego directo a 36 pessoas, diz João Spencer. Já no Paul a empresa tem neste momento um pequeno hotel, o Paul Mar, com 19 quartos. “Criámos 18 postos de trabalho entre o restaurante e o hotel”, conclui.
 
Fonte: A Semana 
 

Contacts

Tel:  +238 251 9200

Fax: +238 251 1615

info@sdtibm.cv

SDTIBM Communication